X

Como mudar de casa sem enlouquecer (muito)

27/09/2012

 

Mudar é um drama. Primeiro é preciso achar uma casa nova. Isso em si já é um parto, com os aluguéis caríssimos, as localizações ruins… Quando você acha, a documentação também é um saco. Só faltam pedir pra levar sua carteira de vacinação. Escritura do fiador, imposto de renda, mil comprovantes. Aí finalmente você consegue assinar o contrato e marca a data da mudança, achando que todo o stress acabou.
 
Não acabou. Aliás, acabou de começar. E como este blog é um serviço de utilidade pública, vou listar algumas dicas pra facilitar a vida de vocês.
 
TPM: Tensão Pré Mudança
 
1) Encontre uma transportadora com boa relação custo-benefício. Não esqueça de perguntar se eles embalam e transportam coisas frágeis, como louças. Algumas transportadoras cobram por viagem, outras pela distância, outras pelo número de móveis. Faça diversos orçamentos, com calma, pra ver o que cabe no seu bolso e resolve seus problemas. Sempre peça o orçamento por escrito (vale fax ou email) pra garantir que tudo que está lá seja feito.
2) Verifique se a transportadora oferece ajudane, que é o cara que vai carregar tudo pra você. Geladeira, fogão, aquele rack enorme da sala. Isso tudo precisa de um ajudante – ou dois, se você for mulher ou fraquinho.
3) Descubra no prédio novo os horários que pode entrar mudança, travar elevador, fazer barulho de furadeira… essas regras variam bastante e você não quer começar na casa nova com o pé esquerdo, né?
4) Comunique o prédio do dia da mudança. Assim eles podem liberar uma vaga pra descarga ou mesmo guardar  um lugar na rua pro caminhão estacionar.
5) Ligue pras companhias de telefone, luz, gás, internet, tv a cabo, e peça a transferência dos serviços. Eles levam em média 3 dias pra atender, então ligue uns 3 dias antes de mudar, pra dar certinho.
6) Reze um pouco e peça ajuda divina; depois passe a mão no telefone e convoque seus amigos, pedindo ajuda humana também. Chame todo mundo que você conhece. Alguns vão acabar topando, porque gostam de você. Outros vão topar porque te devem favores. E outros ainda toparão apenas se você prometer recompensá-los com uma bela feijoada depois.
 
Prepare-se para a batalha
 
1) Vá a um supermercado e jogue aquele xaveco na mocinha da entrada. Sorria, explique que você vai mudar e que precisa de umas caixas. Ela vai te dar umas 10. Repita o mesmo procedimento em mais 2 ou 3 supermercados, porque acredite, meu amigo: você vai precisar de MUITAS caixas. As melhores caixas são as de sabão em pó, detergente ou amaciante, porque são grandinhas e têm o fundo reforçado.
2) Compre diversos rolos de fita adesiva larga. Você vai usar muito mais do que planejou. Juro.
3) Compre algumas canetas de ponta grossa pra escrever nas caixas.
4) Reze de novo e peça mais ajuda divina. Depois ligue pra sua mãe e peça ajuda pra passar suas roupas, pra te deixar dormir lá se você esquecer de pedir transferencia da luz e pra te alimentar nos primeiros dias.
 
Embalagem: Táticas de guerra
 
1) Comece a empacotar. Comece pelas coisas grandes, como edredons, toalhas, lençóis. agrupe as coisas semelhantes. Ao encher a caixa, lacre com a fita adesiva e escreve do lado de fora o que está na caixa e de que parte da sua casa é. Seja explícito. Escreva “BANHEIRO – TOALHAS”. Assim quem quer que te ajude na mudança vai saber onde colocar os produtos.
2) Coisas quebráveis, como perfumes, copos, louças e etc devem ser embrulhadas em plástico bolha ou se você for pobre que nem eu em jornais pra proteção. Embrulhe com cuidado. Eventualmente alguma coisa vai quebrar, mas vamos tentar evitar isso. Escreva FRÁGIL em letras garrafais do lado de fora das caixas pra enfatizar.
3) Empacotar é chato. Muito chato. Você irá se sentir tentado a simplesmente enfiar tudo em sacolas ou caixas aleatórias, pra se livrar logo do trabalho. Não caia nessa tentação. Depois, na hora de desempacotar, você irá sofrer mais se estiver tudo bagunçado – e você cansadão da mudança, ainda por cima.
4) Durante o processo de embalagem, reze, recite mantras, faça a dança da chuva. Faça o que for possível pra manter a calma e lembre-se: sempre poderia ser pior.
 
O dia D: Hora de invadir a Normandia finalmente mudar
 
1) Acorde cedo e faça tudo aquilo que você esqueceu de fazer ontem: corra no mercado e compre sacos de lixo e produtos de limpeza, alimente seus gatos, cheque seus emails. Lembre-se que nesse dia, mais nada faz sentido, exceto a mudança em si.
2) Quando o caminhão chegar, esteja com tudo empacotado e pronto pra partir. Não deixe o cara do carreto esperando, senão ele se irrita e quebra seus discos raros de vinil.
3) Leve primeiro as coisas grandes, como sofá, cama, colchão, armários. Deixe as caixas de roupas e utensilios pra depois que tudo estiver no lugar.
4) O ideal é ter um time de umas 4 pessoas: uma fica na casa velha, despachando. Outra na casa nova, recebendo. E dois carregam as paradas.
 
Pós Operatório: Agora é com você!
 
1) Depois que o caminhão levar tudo, é hora de chorar começar a colocar as coisas em ordem. Provavelmente, você não vai conseguir fazer tudo em um dia. Aliás, provavelmente você não vai conseguir nem em uma semana! Então priorize: arrume primeiro a cozinha e o banheiro, por questões de sobrevivência. Arrume o quarto, porque você realmente vai querer dormir numa cama gostosa depois de toda essa bagunça. Deixe pra depois os livros, os dvd, cds e coisas não-tão-importantes.
2) Aqui sua mãe vai ser a pessoa mais útil e importante do mundo. Ela certamente consegue arrumar a cozinha melhor que você. Deixa-a fazer o que quiser por lá e agradeça depois, mesmo que você não ache aquela sua travessa no lugar esperado. Se sua mãe a colocou em outro armário, ela está certa. Mesmo.
3) Dê algumas cervejas pros seus amigos, pra levantar o moral. Descubra quem sabe colocar um chuveiro, operar uma furadeira, fazer instalação de luz. Divida as tarefas entre a galera, pra ninguém morrer ficar cansado demais.
4) Na hora que bater aquele cansaço tremendo, pare. Lembre-se que tem muita coisa pra fazer e ninguém aguenta trabalhar 24 horas seguidas carregando peso. Libere seus amigos, agradeça profusamente a eles (saiba que eles irão mudar e vão te chamar pra ajudar sem falta), tome um banho maravilhoso e durma.
 
O day after: a ressaca da mudança
 
1) No dia seguinte da mudança você irá acordar exausto, com dores no corpo e irritadíssimo. Releve. Tome um analgésico, um relaxante muscular leve e continue a nadar. Just keep swimming.
2) Hoje é dia de colocar prateleiras, furar a parede pra pendurar cortinas, bater pregos. É o dia de ser chata e incomodar os vizinhos, mas faça o possível para evitar. Respeite os horários do condomínio, não abuse, não compre briga.
3) Seja simpático ao cruzar com um vizinho que te olhe com ódio porque você o acordou. Sorria e diga algo como “Oi, eu sou a nova moradora do apto tal. Desculpe o barulho, prometo que é só até acabar o piso/reforma/ano do calendário maia.” Se possível, deixe um bilhete por baixo da porta dos vizinhos do seu andar, do apto imediatamente acima e abaixo do seu, oferecendo um café, pedindo desculpas pelo incômodo e se apresentando. Isso é gentileza, minha gente.
 
E acabou. Ou não. na verdade, provavelmente vai levar um mês pra você conseguir desencaixotar tudo. Não estresse e tente levar numa boa. Agradeça aos seus amigos, ao porteiro, aos vizinhos e aos poderes divinos, porque pelo menos o pior já foi.
 

Entre em contato conosco : Oi  (31) 8678 1446 ,  VIVO  (31) 9967 5913 e Fixo (31) 3488 1116

www.webdesignbh.com